quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Chove....

Sempre que chove lembro de minha infancia. Eu e vovó sentavamos a beira da porta da cozinha e ficavamos vendo e ouvindo os pingos cairem no chão de terra no fundo do quintal. A chuva corria em caminhos estreitos feito no chão. Livre e liberta das nuvens, ela apenas queria viver. Deixou de ser chuva. Agora era apenas água.

Um comentário: